Blog

Postado em 30 de Julho de 2015 às 22h23

Fribromialgia

Doenças (14)
Centro de Coluna Chapecó/SC O que é fibromialgia ? A síndrome de fibromialgia é uma forma de freqüente de dores musculares e cansaço que afeta aproximadamente 3,7 milhões de americanos (1998). No Brasil...

O que é fibromialgia ?
A síndrome de fibromialgia é uma forma de freqüente de dores musculares e cansaço que afeta aproximadamente 3,7 milhões de americanos (1998). No Brasil ainda não existe levantamento oficial, mas estima-se que 5% da população possa devolver esta síndrome.
O nome FIBROMIALGIA significa dores nos músculos e tecidos conectivos fibrosos ( ligamentos e tendões). Esta condição é considerada uma síndrome porque abrange um conjunto de sinais e sintomas que podem ocorrer simultaneamente em diferentes doenças. OS SINAIS se referem aos achados físicos que o médico encontra quando examina o paciente, enquanto que os SINTOMAS se relacionam às queixas relatadas durante a entrevista. Fibromialgia é freqüentemente confundida e pouco entendida já que vários de seus sintomas podem ser encontrados em outras patologias. O termo fibrosite foi usado para descrever esta mesma condição. Itis significa inflamação um processo que pode desencadear dor, calor, inchaço, vermelhão e rigidez. Como os investigadores descobriram que a inflamação não é um fator importante nessa condição, o termo fibromialgia tornou-se mais correto e substitui o velho termo fibrosite.
Fibromialgia afeta principalmente músculos e seus locais de fixação nos ossos. Embora se manifeste como doença articular, ela não é inflamatória (artrite) e não causa deformidade nas juntas.
Fibromialgia é, ao invés, uma forma de reumatismo de tecidos moles ou muscular. A palavra reumatismo se refere a dor e rigidez associadas às juntas, músculos e ossos.
A síndrome de fibromialgia não apresenta alteração laboratoriais. Por isso, seu diagnóstico depende principalmente das queixas ou sensações que o paciente relata. Algumas pessoas podem olhar estes sintomas como imaginários ou desprezíveis. Durante os últimos 10 anos, entretanto, a fibromialgia tem sido melhor definida através de estudos que estabeleceram regras para seu diagnóstico. Esses estudos demostram que certos sintomas como dores musculares generalizadas e pontos dolorosos específicos estão presentes em pessoas com fibromialgia e que não são comuns em pessoas sadias e com outros tipos de reumatismo. Esses aspectos separam a fibromialgia de outras condições que se apresentam com dores ósseas e musculares crônicas.

Sintomas e sinais

Dor:
A dor é o sintoma mais importante na fibromialgia. Ela geralmente é sentida em todo corpo, embora possa começar em uma região, como pescoço ou ombro, e se espalhar para outras áreas após algum tempo. A dor em fibromialgia tem sido descrita de várias maneiras, dentre as quais ardência, incômodo, rigidez e fisgada. Geralmente varia com a hora do dia, tipo de atividade, clima, padrão de sono e estresse. A maioria das pessoas com fibromialgia dizem que sempre sentem um pouco de dor. Elas sentem dor principalmente nos músculos e dizem ter a sensação de como se estivesse constantemente gripadas. Para algumas pessoas com fibromialgia, a dor pode ser severa.
Embora o exame físico geral seja usualmente normal e essas pessoas pareçam sadias, um exame cuidadoso de seus músculos revela áreas bastante sensíveis em determinados locais. A presença e padrão desses característicos pontos sensíveis com sintomatologia de dor distingue a fibromialgia de outras condições.
Nem todos os médicos estão familiarizados com essa síndrome, mas a maioria dos reumatologistas sabem como avaliar um ponto dolorido e relacioná- lo ao diagnóstico.
As áreas doloridas na fibromialgia são similares em localização às áreas de outros tipos comuns como cotovelo de tenista, bursite trocanteriana, etc. Os pontos doloridos da fibromialgia tendem a estar presentes em ambos os lados e em diferentes locais. Embora os pontos sejam usados para diagnóstico, muitos outros pontos musculares e de tecidos moles podem ser excessivamente sensíveis. Você pode não estar ciente da exata localização desses pontos sensíveis até o momento em que eles sejam específicamente pesquisados durante exame médico.

Fadiga e Distúrbio do sono

Cerca de 90% das pessoas com fibromialgia sentem uma fadigade moderada a severa, com perda da energia, diminuição da resistência aos exercícios, ou um cansaço semelhante àquele resultante de uma gripe ou perda de sono. Algumas vezes a fadiga é um problema maior do que a dor. Pessoas com fibromialgia podem Ter uma fadiga semelhante `a de outra condição chamada Síndrome da Fadiga Crônica (SFC). Algumas pessoas com fibromialgia têm sintomas de SFC. E vice - versa. Por exemplo, muitas pessoas com SFC Têm pontos sensíveis e sintomas semelhantes aos daqueles com fibromialgia. Pelo fato de existir uma superposição entre essas duas síndromes comuns, às vezes não é possível separar essas duas condições. Um médico pode dar um diagnóstico de fibromialgia enquanto outro pode chamar a mesma condição de síndrome da fadiga crônica . Muitas pessoas com fibromialgia experimentam um distúrbio do sono, em que elas não acordam aliviadas mas sentindo - se cansadas. Embora você possa ser capaz de ficar acordado sem grandes dificuldades, o estágio de sono profundo pode estar interrompido. Você pode dormir superficialmente e acordar durante a noite. Outro distúrbio do sono, incluindo apnéia, mioclonia, e síndrome da perna cansada são também comuns. Pesquisas têm mostrado que uma ruptura do sono profundo altera muitas funções crucieis do organismo, como a percepção da dor.

Sintomas do sistema nervoso

Mudanças no humor e na maneira de pensar são comuns na fibromialgia . Muitos indivíduos sentem - se desanimadas, embora apenas 25% estejam verdadeiramente deprimido. Algumas pessoas também manifestam ansiedade. Por esse motivo existem pesquisadores que pensam poder haver relação entre fibromialgia e algumas formas de depressão e de ansiedades crônicas. É importante lembrar que pessoas com outras doenças crônicas que não é a fibromialgia também podem sentir depressão quando enfrentam dificuldades para amenizar seus sintomas.
Pessoas com fibromialgia podem referir diminuição na capacidade de se concentrar e de executar tarefas comuns. 


Postado em 30 de Julho de 2015 às 22h19

Estenose de Coluna

Doenças (14)
Centro de Coluna Chapecó/SC É um estreitamento do canal onde passa a medula e a cauda equina. Sintomas: Paciente relata dor cervical ou lombar por vários anos associado a um recente dessenvolvimento de dor em membros...

É um estreitamento do canal onde passa a medula e a cauda equina.

Sintomas: Paciente relata dor cervical ou lombar por vários anos associado
a um recente dessenvolvimento de dor em membros inferiores ou
superiores, dormência, fraquesa e cãimbras.

Os sintomas, de dor, podem envolver um ou ambos os membros
ou áreas diferentes dos mesmos.

- após caminhar poucas quadras o paciente sente os membros
cansados, necessitando parar por alguns minutos e daí reiniciar
a marcha.
- queixas de dores noturna, na cama, que podem se aliviadas ao
caminhar alguns minutos.
- sensação de membros frios.
- sensação que os membros são de borracha.
- a força dos mesmos podem estar diferente.

Diagnóstico: Usamos o raio x simples, mielografia, tomografia ou ressonância nuclear magnética.

Tratamento: Depende da quantidade de vértebras envolvidas, da magnitude da dor e da condição
geral do paciente.

1-Tratamento conservador:
-medicação anti-inflamatória
-fisioterapia
-programas educacionais para a coluna
-corticoterapia epidural
-coletes

2-Tratamento cirúrgico
-descompressão do canal vertebral com ou sem estabilização metálica, dependendo
se a coluna é instável ou não.


Postado em 30 de Julho de 2015 às 22h17

Espondilolistese ( Coluna fora do lugar)

Doenças (14)
Centro de Coluna Chapecó/SC Espondilolistese é um escorregamento anterior, para frente, de uma vértebra sobre a outra. Normalmente, isto ocorre ao nível da quinta vértebra lombar com a primeira do osso sacro ou entre...

Espondilolistese é um escorregamento anterior, para frente, de uma vértebra sobre a outra. Normalmente, isto ocorre ao nível da quinta vértebra lombar com a primeira do osso sacro ou entre a quarta vértebra lombar sobre a quinta. Isto pode se devido a defeito de desenvolvimento ou uma fratura por fadiga em certas áreas da vértebra. Este problema ocorre em mais ou menos 5% da população.

Causas: Pode ser hereditário, traumático ou degenerativo.

Sintomas: Dor nas costas, dor em membros ou ambos.

Tratamento: Depende do grau de escorregamento e da severidade dos sinto-
mas.

repouso
-colete
-exercícios
-medicamentos

Cirurgia poderá ser indicada se:

-não responder ao tratamento conservador
-escorregamento progressivo
-fraqueza muscular e distúrbio de bexiga e intestino
-grande escorregamento

Objetivo da cirurgia: Prevenir danos neurológicos, diminuir ou
eliminar a dor lombar e dor em membros e evitar grandes defor-
midades.


Postado em 30 de Julho de 2015 às 22h16

Escoliose ( Coluna torta, coluna fora do lugar, desvio de coluna)

Doenças (14)
Centro de Coluna Chapecó/SC INTRODUÇÃO É uma curvatura anormal da coluna vertebral. Cerca de 2 a 3 em cada 100 adultos jovens desenvolvem alguma forma anormal de curvatura. Felizmente somente a minoria...

INTRODUÇÃO

É uma curvatura anormal da coluna vertebral. Cerca de 2 a 3 em cada 100 adultos jovens desenvolvem alguma forma anormal de curvatura. Felizmente somente a minoria necessitarão de tratamento especial. Devemos cuidar da curvatura , principalmente, no período de grande crescimento onde ela pode aumentar com maior rapidez. A chave para controlar a escoliose é detectá-la no seu início. Tratando precocemente podemos evitar, em muitos casos a cirurgia. A escoliose não pode ser prevenida e não deve ser confundida com má postura.

O QUE É ESCOLIOSE?

Quando observamos uma pessoa de costas sua coluna deverá ser reta. Neste plano podemos encontrar vários tipos e graus de desvios que são chamados de escoliose. O tipo mais comum são a que tem a forma de um S.

CAUSAS DA ESCOLIOSE?

O tipo mais comum é a de causa desconhecida. Ocorre , principalmente, na idade entre 10 e15 anos, quando a coluna cresce rapidamente. A escoliose moderada aparece , em igual proporção , entre homens e mulheres. A progressão é maior no sexo feminino. Na maioria das vezes não há necessidade de fazer cirurgia. Em geral quanto maior a curvatura maior a possibilidade de progressão.

SINAIS E SINTOMAS

• Problemas com as roupas.
• Ombros desnivelados.
• Um lado do tórax está mais proeminente que o outro.
• Costelas elevadas em um lado.
• Quadril desnivelado.

TESTES PARA DETECTAR ESCOLIOSE

Em países do primeiro mundo é realizado no colégio. Uma vez detectado a escoliose o especialista de coluna deverá ver o paciente de 4 em 4 ou de 6 em 6 meses para ver se houve ou não progressão do quadro. Felizmente a grande maioria das curvas não progridem

COMO A CURVA É MEDIDA

O exame usado, para medir a curvatura, é o raio x. Através deste medimos o ângulo e a rotação vertebral. Sabe-se que curvaturas pequenas entre 10 e 20 graus não há necessidade de tratamento podendo levar uma vida normal. Se a curva evoluir além de 25 graus e sua coluna estiver ainda crescendo, um colete será recomendado. Uma vez o crescimento cessado o colete perde o seu efeito. A cirurgia é recomendada para curvas maior que 40-50 graus.

TRATAMENTO

Depende muito da maturidade óssea. A maioria das meninas param de crescer com 14 anos( meninos com 16-18anos). O crescimento ósseo é monitorado com o raio x. O tratamento será baseado levando em conta o grau da curvatura e a idade óssea.
Muitos adolescentes deverão consultar a cada 4-6 meses durante seu período de crescimento ativo. Alcançando a maturidade esquelética não significa que a escoliose pare de aumentar .É recomendado manter o corpo sempre em boa forma.

EXERCÍCIO

Exercício é muito bom para manter a forma e não para corrigir curvaturas da escoliose.

COLETE

É recomendado quando a curvatura for maior que 25 graus e não aconselhado em escoliose severa. Há vários tipos de coletes para serem selecionados. A função do colete é de segurar sua coluna na posição melhor possível e evitar que a curvatura aumente.

CIRURGIA

Nos casos de curvaturas maior que 40-50 graus.


Postado em 30 de Julho de 2015 às 22h15

Envelhecimento do Disco Vertebral ( Bico de papagaio, desgaste da coluna, artrose)

Doenças (14)
Centro de Coluna Chapecó/SC Em nossa coluna vertebral encontramos 33 vértebras e 23 discos. O disco é aquela estrutura encontrada entre 2 vértebras e sua função principal é de amortecedor e tornar a...

Em nossa coluna vertebral encontramos 33 vértebras e 23 discos. O disco é aquela estrutura encontrada entre 2 vértebras e sua função principal é de amortecedor e tornar a coluna vertebral flexível. Ele é constituído de uma parte externa chamado de anel fibroso e uma central, gelatinosa, que é o núcleo pulposo.
Doença degenerativa é uma condição de enfraquecimento e ruptura em nossos discos. É uma deterioração ou alteração na conscistência do mesmo. Sua localização mais comum é na coluna lombar seguido da cervical que é no pescoço. Pode ocorrer em qualquer área da coluna. Esta doença é diagnosticada com raio X.

CAUSAS: Na maioria da vezes é um processo normal de envelhecimento, hérnia de disco e traumas do mesmo.

SINTOMAS: Dor, na área envolvida da coluna e alterações da sensibilidade e motricidade de membros superiores e inferiores.

TRATAMENTO:

1-Medicamentoso
2-Fisioterapia
3-Repouso
4-Coletes
5-Infiltrações
6-Denervação facetária
7-Corticoterapia epidural
8-Apoio psicológico
9-Medicina alternativa
10-Cirurgia


Postado em 30 de Julho de 2015 às 22h13

Lombalgia e Lombociatalgia ( Dor lombar, dor nas costas,dor no ciático).

Doenças (14)
Centro de Coluna Chapecó/SC São dores sentidos na região lombar e membros, região das costas situada acima das nádegas e que ocupa aproximadamente o terço final da coluna vertebral, podendo irradiar-se para as...

São dores sentidos na região lombar e membros, região das costas situada acima das nádegas e que ocupa aproximadamente o terço final da coluna vertebral, podendo irradiar-se para as nádegas, coxas e pernas. É uma hérnia discal (núcleo do disco extruido) essa hérnia fica comprimindo o nervo ciático onde muitas vezes a pessoa pode perder as forças das pernas.
A lombalgia em alguns casos é composta da inflamação dos nervos, músculos cápsula e ligamentos da coluna.
Quem mais sofre com a lombalgia são as mulheres pois atinge cerca de 70%, é mais freqüente na gestação permanecendo até seis meses pós-parto.
Deve-se pesquisar a localização e a freqüência da dor, o tempo de queixa da dor e os fatores de melhora e piora. Analisa-se o paciente notando alterações na lordose lombar, procurando através da palpação por pontos dolorosos na musculatura paravertebral.

SINAIS E SINTOMAS

A intensidade da dor lombar varia muito, pode ser uma dor leve e incômoda; ou uma dor intensa e incapacitante que impede a realização de trabalhos domésticos e profissionais. A dor é localizada na parte inferior das costas, podendo ou não irradiar-se para a parte superior pescoço, coxas ou até para o abdômen.
Quando a dor lombar associar-se à dor irradiada para a coxa e para as pernas, indica uma possível compressão radicular (o nervo é comprimido) a causa mais frequente da compressão é a hérnia de disco, relacionada á traumatismos que ocorrem durante a vida. Os tumores da coluna também se manifestam com dores desse tipo. As dores lombares são consideradas agudas quando persistem por até sete dias, sub agudas que persistem de sete dias a três meses e crônicas com sintomas acima de três meses.

DIAGNÓSTICO

Em todas as situações de Lombalgia, existe a necessidade de exames minuciosos para se fazer um diagnóstico correto para diferenciar os quadros da lombalgia aguda não complicada daqueles que podem suspeitar de doenças de base, como tumores, infecções, fratura, entre outros vários exames complementares pode ser utilizado para definir o diagnóstico, como: radiografia simples da coluna vertebral, exames de sangue, tomografia da coluna vertebral, ressonância magnética da coluna vertebral, eletroneuromiografia de membros inferiores, desintometria óssea.

TRATAMENTO

O médico deve ser especialista na coluna vertebral, durante a crise de lombalgia o paciente é afastado do trabalho por três dias e em casos mais graves repouso absoluto.
A termoterapia contribui para o alívio da dor na fase aguda. Massagens na região lombar não tem comprovação científica de melhoras.
Durante a crise o uso de antiinflamatório não hormonal é indicado e possibilita o efeito analgésico, usado moderadamente pois existem efeitos colaterais graves relacionados ao sistema gastrointestinal, plaquetório e aparelho urinário, precisando usar medicamentos para proteger o aparelho gástrico.
O uso de coletes específicos melhora a postura e trás conforto. A indicação de cirurgia é rara, somente em casos que precise fazer a descompressão de tecido neural.

PREVENÇÃO

-Maneira de levantar pesos;
-Postura em dirigir corretamente
-A melhor maneira ou posição de dormir;
-No lar em trabalhos domésticos;
-Benefícios da massagem;
-Exercícios e pausa durante o trabalho.


Postado em 30 de Julho de 2015 às 22h11

Ler ou Dort

Doenças (14)
Centro de Coluna Chapecó/SC Lesão por Esforço Repetitivo Distúrbio Osteomuscular Relacionada ao Trabalho É o nome dado ou afecções do aparelho locomotor, são lesões causadas por...

Lesão por Esforço Repetitivo
Distúrbio Osteomuscular Relacionada ao Trabalho

É o nome dado ou afecções do aparelho locomotor, são lesões causadas por esforços repetitivos. São produzidas por um conjunto de situações que dependem da organização do trabalho (causa externas) e das condições físicas e emocionais das pessoas (causas internas), relacionadas com o tipo de personalidade e de estrutura física de cada um. Somente quando ambos os fatores externos e internos se juntam é que o risco de Ler aumenta
A Ler provoca muita dor por que são acompanhadas por inflamações que se localizam nos tendões, nos músculos e nervos do pescoço, das costas, dos ombros, dos braços, punhos e mãos e postura incorretas.
A desconfiança, aliás continua ficando aos patrões até hoje, pois a DORT ou LER, apesar de poder levar a invalidez não deixa marcas visíveis aos olhos alheios.
A LER não atinge apenas digitadores, os caixas de banco e os trabalhadores das linhas de montagem, ela existe entre artistas (músicos, bailarinos, pintores), atletas (vôlei, tênis, natação), entre os profissionais liberais (dentistas e arquitetos) e principalmente na Enfermagem onde deve ser usada a técnica correta para evitá-la.
Todos temos um limite de capacidade para suportar os esforços físicos e as ameaças da vida, geralmente às ultrapassamos.

SINAIS E SINTOMAS

O primeiro sinal é dor, muita dor que pode ser localizada em regiões como punhos, ombros e costas, ou também latejar em pontos distantes do seu local de origem. Existem trabalhadores com alterações tendíneas (tendinite inflamação de tendões e das fixações musculares dos tendões) ou sinovites ( inflamação de uma membrana sinovial, um pequeno saco cheio de sinovia uma espécie de líquido que se situa entre duas partes que se movem uma sobre a outra para evitar calcificações) bem evidentes com a realização de esforços repetitivos ou com trabalho em postura inadequada. Outros trabalhadores desenvolvem quadros clínicos dolorosos dos membros superiores e que não apresentam os sinais objetivos da presença da afecção (tendinite, sinovite ou compressão nervosa). Além da dor, portadores de LER queixam-se de parestesias (ardência, formigamento, alfinetadas), dores irradiadas, edema, rigidez e limitação dos movimentos pela dor e até mesma perda total dos movimentos. Pode ocorrer também sintomas gerais associados como ansiedade, irritabilidade, alterações do humor e do sono, fadiga crônica e cefaléia tensional.

EVOLUÇÃO DOS SINTOMAS

1- Sensação de desconforto, dor leve.
Melhora com repouso.
2- Dor persistente e localizada.
Redução da produtividade, irradiação da dor.
3- Dor intensa e localizada.
Repouso só atenua a intensidade da dor, há perda da força muscular podendo haver
Edema local.
4- Dor intensa e continua.
Edema persistente, impossibilidade de um trabalho produtivo regular.

TIPOS DE LER

-Tenossinovite - inflamação dos tecidos que revestem os tendões.
- Tendinite - inflamação dos tendões.
- Epicondilite - inflamação das estruturas do cotovelo.
- Bursite - inflamação das bursas ( pequenas bolsas que se situam entre os ossos e os tendões das articulações do ombro)
- Miosites - inflamação dos músculos.
- Síndrome do túnel do Carpo - compressão do nervo mediano ao nível do punho.
- Síndrome Cervicobraquial - compressão dos nervos em coluna cervical.
- Síndrome do Desfiladeiro Torácico - compressão do plexo (nervos e vasos).
- Síndrome do Ombro Doloroso – compressão de nervos e vasos em regiões do ombro.

TRATAMENTO DA LER OU DORT

O afastamento do trabalho é a medida mais importante e obrigatória para o tratamento, afastando assim o trabalhador dos fatores de riscos. São utilizados medidas como a imobilização do membro afetado, medicamentos contra a dor, antiinflamatório e a cirurgia em casos especiais.
Se for diagnosticada no início da apresentação dos sintomas, e o trabalhador receber o tratamento adequado poderá ser controlada. Pelo contrário poderá evoluir para formas crônicas com dor e incapacitação permanente. Podendo reaparecer se o trabalhador retornar as atividades que a geraram. Não existem regras específicas no tratamento, cada caso é um caso.

FATORES PREDISPONENTES

- Uso repetitivo de grupos musculares

- Uso forçado de grupos musculares;

- Manutenção de postura inadequada;

Relacionadas ao trabalho:

-Ausência de pausas;
-Exigência de produção;
-Excesso de horas trabalhadas;
-Concentração do uso de força e trabalhos repetitivos e monótonos;
-Mobiliário e equipamentos inadequado (mesa, cadeiras, máquinas de autenticação);
-Condições ambientais impróprias (iluminação, temperatura, ruído, vibrações, etc.);

Ligadas às características individuais:


- Pré-disposição a essas lesões;
- Vícios posturais;
- Doenças pré-existentes;

Psicológicos:


-Stress
-Ansiedade
-Depressão
-Conflitos de relacionamento
-Conversão de aspectos psicológicos em fisiológicos.


PREVENÇÃO


Para prevenir a LER é preciso mudar a forma de como o trabalho é estruturado. Devendo-se evitar a monotonia, repetitividade, stress, sobre-carga de certos grupos musculares e postura inadequada.
Os trabalhadores devem ter algumas conquistas em seu trabalho para poderem evitar a LER como:
- Controle de ritmo de trabalho pelos trabalhadores que o executam;
- Enriquecimento das tarefas, não permitindo a fragmentação do trabalho;
- Eliminação das horas extras;
- Aumento do número de pausas durante a jornada de trabalho, para que os músculos e tendões descansem, e se diminua o stress;
- Adequação do posto de trabalho, evitando a adoção de posturas corporais incorretas. O mobiliário (cadeiras, mesas, painéis fixos, entre outros) devem ser ajustados às características físicas dos trabalhadores;
- Vigilância da saúde dos trabalhadores, com realização semestral de exames médicos, voltados para aspectos clínicos e osteo-articulares (que afetem ossos e articulações).
- Ginástica laboral.
- Rodízio de trabalho


Postado em 30 de Julho de 2015 às 22h08

Cifose Juvenil

Doenças (14)
Centro de Coluna Chapecó/SC Cifose é definida como um arqueamento, além dos limites normais, da coluna vertebral. Quando a curva da coluna torácica é muito aumentada e há alterações estruturais...

Cifose é definida como um arqueamento, além dos limites normais, da coluna vertebral.
Quando a curva da coluna torácica é muito aumentada e há alterações estruturais na vértebra, podemos
dizer que a pessoa é portadora de dorso curvo.

Causa:
Desconhecida

Sinais e sintomas:
Dor nas costas
Deformidade da coluna

Tratamento:
É determinado pela idade do paciente e grau da deformidade
e sintomas. Alguns precisam exercícios, outros
um colete e raramente é indicado cirurgia. 


Postado em 30 de Julho de 2015 às 17h51

Orientação de Postura

Postura (1)

Postado em 30 de Julho de 2015 às 17h47

Exercícios para Coluna

Exercícios (1)

Postado em 23 de Julho de 2015 às 11h06

Prevenções na infância

Dicas (13)

A medicina está cada vez mais preocupada com o avanço das dores nas costas em crianças na fase escolar. Cada vez mais nossas crianças passam horas a frente da televisão e do computador, quase sempre em postura errada, o que acaba levando a dores nas costas e problemas posturais.

Como diversos problemas na coluna são degenerativos, ou seja, são causados por uma progressão da doença, é bom estarmos atentos à prevenção de um desgaste inicial, prevenindo assim os sinais perceptíveis e dolorosos do futuro.

Em fase escolar, nossas crianças também sofrem com as mochilas pesadas, o que acaba gerando problemas em suas costas e pés. Na escola a postura na carteira é fundamental. Os pés apoiados no chão e a coluna reta, porém confortável, são itens essenciais para evitar sobrecarga dos elementos da coluna.

Para as mochilas escolares se recomenda:

» Mochilas de rodinha se a criança anda até a escola, ajustando alça de puxar de maneira a deixar a criança ereta ao fazer o moviemento, com opção de alças para as costas

» Crianças que se locomovem de carro esse modelo de rodinha não é recomendado por serem mais pesadas e menos duráveis

» Mochilas nas costas devem ser ajustadas acima da linha da cintura, fazendo contato com as costas, se possível com o cinto abdominal fechado

» Mochilas de materiais leves, com duas alças, para distribuir o peso nos dois ombros

» Carga de até 10% do peso da criança, evitando usar cadernos de muitas matérias por levar peso desnecessário

O calçado também pode ajudar a evitar dores nas costas. Utilizando-se de calçados específicos para cada atividade, pode-se:

» Melhorar a postura através do alinhamento correto entre a pelve e a coluna;

» Reduzir a dor nas costas através de uma postura correta;

» Melhorar a respiração através de técnicas de postura correta;

» Fortalecer e tonificar o corpo;

» Promover a posição natural do pé, melhorando a postura;

» Melhorar a absorção de choques, reduzindo o impacto das superfícies duras;

» Melhorar a postura, distribuindo o peso corporal uniformemente;

» Evitar danos ao arco do pé através de um apoio reforçado;

Os sapatos mais indicados são os de amarrar, pois os cadarços mantêm os pés firmes dentro do calçado, pois os abraçam e tendem a ser mais resistentes. Procure aqueles que deixam o pé aconchegado dentro do calçado, mas que não deslizem dentro dele. Eles também não devem ser tão macios, pois podem gerar os pés chatos. Os tênis de basquete e de skate tendem a ser muito macios. Os tênis de corrida perdem a capacidade de absorção de impacto rapidamente e devem ser trocados a cada seis meses, caso a atividade física seja regular.

Os pais devem estar atentos ao desenvolvimento de seu filho. É nessa fase que muitos dos problemas futuros podem ser evitados. Uma infância bem assistida levará a uma vida adulta mais feliz e com menos dores. A conscientização da importância que a boa postura tem sobre as nossas vidas pode mudar o futuro de nossa coluna.


Postado em 22 de Julho de 2015 às 11h07

Cuidados ao Dirigir

Dicas (13)
  • Centro de Coluna Chapecó/SC -

Longos períodos em uma mesma posição podem sobrecarregar a coluna e sua musculatura, gerando dor nas costas. Sendo assim, deve-se ficar atento à sua postura ao dirigir. Os automóveis atuais permitem um melhor ajuste do encosto e do assento, e mantendo-se uma boa altura e angulação do assento bem como sua proximidade ao volante, é possível prevenir ou minimizar as dores nas costas. Em um estudo recente foi constatado que o paulistano passa por dia em média 2h43m no trânsito, e por ser uma exposição tão longa devemos estar atentos.

Abaixo seguem dicas para a prevenção da dor nas costas durante o ato de dirigir:

“O mais importante é que não seja preciso desencostar do banco para acionar os pedais, realizar manobras e visualizar os retrovisores. O motorista deve também fazer pequenas pausas durante períodos longos ao volante, sempre realizando alongamentos simples para as pernas e braços, bem como a região lombar e cervical” disse o especialista em coluna Dr. Luiz Pimenta.

» Manter o ângulo do assento entre 100 a 110 graus, dando apoio total à coluna, mantendo-a relaxada (evita lesões dos músculos do pescoço e articulações da coluna, quando o assento estiver muito angulado);

» Ajuste o encosto de cabeça de acordo com a altura do motorista, de preferência na altura dos olhos (evita efeito chicote da cabeça e protege das lesões no caso de uma colisão traseira);

» Uso de suporte lombar (Alguns carros dispõem do dispositivo, mas uma pequena almofada ajuda a melhor distribuição da carga sobre a coluna);

» Braços levemente flexionados ao segurar o volante. Com os braços esticados, o volante deve estar na altura dos punhos (evita lesões em colisões frontais; permite respostas rápidas frente às situações de perigo; mantém musculatura do pescoço não tensionada);

» A posição dos braços deve estar em posição aproximada aos ponteiros do relógio em 9 horas e 15 minutos.

» Os calcanhares devem estar sempre apoiados no assoalho do veículo, evitando a sobrecarga da coluna lombar;

» Devem-se alcançar os pedais de tal forma que mesmo pressionados, os joelhos continuem um pouco flexionados;

» Os joelhos devem estar ao nível dos quadris ou acima, para evitar sobrecarga da coluna lombar;

“Hoje em dia a população está passando mais tempo dirigindo. Isso vem causando muitas dores musculares, aumentando os problemas relacionados à coluna. A maior parte das queixas vem de uma má postura ao dirigir, o que é facilmente tratado e evitado apenas com a melhora postural e exercícios físicos regulares.




Postado em 21 de Julho de 2015 às 15h00

Dicas para as mulheres

Dicas (13)

Além dos cuidados que a todos se aplicam, as mulheres estão sujeitas a situações específicas necessitando de cuidados redobrados.

A VAIDADE x A SUA SAÚDE

Acessório que adiciona às mulheres mais um tom de elegância e beleza, o salto alto pode agir como vilão. E além da coluna, os pés, a panturrilha e o joelho também podem ser vítimas da elegância feminina. Se não é possível deixar de usá-los, é necessário evitar e prestar atenção aos seus efeitos.

Professor da Universidade de San Diego, EUA, o neurocirurgião Dr. Luiz Pimenta reforça “Existem várias situações do dia-a-dia em que danificamos gradativamente nossa coluna. Pequenas mudanças em nossos hábitos podem gerar grandes benefícios em longo prazo”, lembrando o ditado popular “melhor prevenir do que remediar”.

A coluna é desenhada para que exerça funções de sustentação, movimento e proteção do corpo. O eixo longo da coluna tem curvaturas que ajudam na distribuição da carga corporal, dividindo o esforço também com a musculatura abdominal e das costas. Quando uma mulher está com sapato de salto o corpo é “jogado” para frente, mudando o centro de equilíbrio do corpo. Naturalmente, para manter a estabilidade o corpo é endireitado com auxílio da coluna, em um movimento que aumenta a curvatura da coluna lombar (lordose). Essa mudança sobrecarrega a musculatura das costas e articulações da coluna, o que pode em curto prazo gerar dores e desconfortos. Se usados diariamente por um longo tempo, a utilização errada dos componentes da coluna acelera o desgaste natural, podendo ocasionar problemas relacionados por doenças degenerativas, como a hérnia de disco.

Além disso, um salto alto agulha pode aumentar muito as possibilidades de acidentes, como as quedas e torções de tornozelo. Para evitar esses danos agudos ou crônicos ao corpo, saltos de até 3 centímetros são altamente recomendados para o uso diário. Calçados de saltos grossos ou plataforma ajudam na distribuição do peso do corpo, evitando acidentes e prevenindo dores nos pés.

E o Dr. Pimenta ainda ressalta: “Mais uma importante medida para manter a saúde do corpo, e especificamente da coluna, é exercitar-se de maneira constante, fortalecendo os músculos abdominais e das costas, assim ajudando a coluna a suportar o peso do corpo de forma saudável”.

Embora a elegância feminina geralmente peça salto alto, não abuse demais deste tipo de calçado, tentando alternar entre saltos mais baixos e mantendo atividades físicas regulares. A sua coluna agradecerá!

NA GRAVIDEZ

Lombalgia é um problema de saúde comum. As mulheres são mais propensas e além disso, a gravidez é uma das condições que predispõem as mulheres a desenvolverem a dor nas costas. Muitas mulheres grávidas consideram que essas dores lombares sejam uma parte normal da gravidez e esperam que desapareça espontaneamente após o parto, mas a literatura revela que a condição deve ser considerada como um evento a se prestar atenção. Para algumas mulheres, as dores lombares na gravidez podem ser o início de um problema crônico, causando prejuízo físico considerável.

As dores nas costas correspondem à complicação mais comum da gravidez. Vários estudos relataram que mais de 50% sofrem com problemas nas costas durante os 9 meses de gravidez, sendo que 75% não tinham histórico de dores lombares antes da gravidez.

Isso se dá pelas importantes mudanças da estrutura corporal da mulher. Com o desenvolvimento e crescimento do bebê, o centro de gravidade da gestante se desloca para frente, e para compensar este mudança ela curva-se para trás, aumentando sua curvatura lombar (lordose). Além desta compensação postural, atividades diárias exigem forças do corpo de forma diferente de anteriormente. Sem um preparo muscular adequado certamente vai acontecer uma sobrecarga na coluna, gerando desconforto e dores.

Com o consentimento médico são indicadas atividades físicas leves que mantém a futura mãe saudável física e psicologicamente. Exercícios de baixo impacto como caminhadas, hidroginástica, natação e yoga são ideais para a manutenção e aprimoramento da musculatura, o que auxilia a uma natural readaptação do corpo à nova estrutura. Alongamentos corretamente realizados são sempre fonte de relaxamento e alívio de dores localizadas, utilize-os, mas não abuse, pois com os hormônios há uma leve frouxidão dos ligamentos dos músculos. Quando as dores são inevitáveis, programas personalizados de fisioterapia e massoterapia são úteis para alívio e contínua prevenção.

Apesar de estar fisicamente apta a realizar diversas tarefas, deve tomar cuidados redobrados para evitar acidentes, pois como dito anteriormente, o corpo da mulher grávida está diferente e assim, são mais recorrente os incidentes. Por exemplo, os sapatos baixos, além de mais confortáveis, são mais seguros, evitando deslizes ou escorregões.

Em especial também salientamos que a mãe deve ter uma boa alimentação. Para que o bebê também possa se favorecer dos nutrientes em que a mesma ingeriu é necessário colocar no cardápio muitas frutas e evitar alimentos muito gordurosos. Para as fumantes, pode ir esquecendo o cigarro!

Se preservando de altos níveis de estresse e esforço físico, porém não deixando de continuar interada com tarefas cotidianas e corporais, a grávida pode ter fazer deste período prazeroso e inesquecível.
 


Postado em 21 de Julho de 2015 às 09h38

Cadeira Ideal

Dicas (13)
Centro de Coluna Chapecó/SC 1. Deve ser estofada, de forma a reduzir a pressão do peso do corpo sobre os discos intervertebrais, e de preferência, revestida com tecido que permita a transpiração. 2. Deve ter altura...

1. Deve ser estofada, de forma a reduzir a pressão do peso do corpo sobre os discos intervertebrais, e de preferência, revestida com tecido que permita a transpiração.
2. Deve ter altura regulável e fácil acionamento do mecanismo, adequando-se assim a pessoas de diversas estaturas.
3. A dimensão ântero-posterior do assento não pode ser nem muito comprida nem muito curta, para permitir distribuição adequada do peso ao longo da face posterior das coxas e da região glútea, sem no entanto comprimir a parte posterior dos joelhos, também motivo pelo qual a borda anterior ao assento deve ser arredondada;
4. O assento deve estar na posição horizontal; é desejável que o assento incline de 10 a 15 graus para a frente o que facilita a escrita. Assentos inclinados para trás são inadequados em cadeiras de trabalho, pois forçam a musculatura das costas;
5. Toda cadeira deve ter apoio para o dorso. O ângulo entre o assento e o encosto deveria ser regulável; caso não o seja, assento e encosto devem estar posicionados num ângulo de 100 graus;
6. O apoio para o dorso deve ter uma forma que acompanhe as curvaturas da coluna, sem retificá-la, mas também sem acentuar suas curvaturas; deve ter também regulagem de altura e permitir espaço para acomodar as nádegas, caso contrário empurraria o corpo do usuário para frente com desconforto;
7. É importante que a cadeira seja geratória quando o posto de trabalho semicircular ou perpendicular, e quando o trabalho exigir mobilidade, deve haver rodízios adequados. Um corolário: a cadeira deve ter 5 patas, visando a estabilidade.

Pontos Básicos Para Qualquer Situação De Trabalho

1. A altura do monitor deve estar no máximo na horizontal dos olhos, evitando sobrecarga para a musculatura da coluna cervical;

2. Não devem existir reflexos na tela, para isso o monitor deve ser posicionado de lado para as janelas; caso o usuário esteja de frente para a janela, é recomendado que esta tenham persianas que devem permanecer fechadas, evitando o ofuscamento da visão;

3. A tela deve possuir um bom padrão de legibilidade;

4. Deve haver possibilidade de movimentação da tela para frente e para trás, a fim de haver possibilidade de adequação da posição do monitor com a acuidade visual do usuário; a distância adequada dos olhos à tela é entre 45 e 70 cm;

5. Os braços devem trabalhar na vertical, evitando-se assim contrações estáticas. Um exemplo prático: o mouse do computador deve ser posicionado à esquerda do teclado, já que a existência do teclado numérico a sua direita exige que o membro superior direito fique afastado do corpo, sobrecarregando os músculos do ombro e coluna cervical;

6. Os antebraços devem estar na horizontal e os punhos apoiados;

7. Em alguns tipos de trabalho, o teclado deve estar colocado sobre uma superfície mais baixa do que a mesa normal de trabalho, com regulagem de altura; em outros tipos de trabalho, o teclado pode ficar situado sobre uma mesa normal; em qualquer caso, deve ser possível ao usuário colocar o teclado um pouco mais para frente ou um pouco mais para trás;

8. Nos trabalhos que exijam a transposição de dados/textos de um documento para o computador, é imprescindível a utilização de um suporte para o documento, a fim de se evitar sobrecarga dos músculos da coluna cervical;

9. Os pés devem estar bem apoiados; para aqueles de estatura mais baixa é recomendado um apoio para os pés portátil, de altura regulável. Ele deve ser largo o suficiente para acomodar os 2 pés(30 x 40 cm); a inclinação é opcional e se existir não deve ser mais que 30 graus e sua superfície superior deve ser feita de material não derrapante;

10. Deve haver espaço suficiente para as pernas debaixo da mesa ou posto de trabalho. Eliminar a presença de caixas e gavetas sob as mesas;
11. A mesa deve atender a alguns requisitos básicos de ergonomia; a-borda anterior arredondada (evita a compressão mecânica sobre os antebraços); b-gavetas leves; c-puxadores de gaveta a serem pegos em prensa, e não em pinça; d-último nível de gaveta elevado, de tal forma que seu puxador esteja a não menos que 40 cm do piso; e-espaço par1a as pernas do interlocutor; f- é desejável que a estrutura seja tipo C, e não sob a forma de pés pois permitirá a instalação de postos de trabalho em L permitindo ao trabalhador girar com facilidade; g- feita de material não reflexivo (nunca fórmica branco nem vidro sobre a mesa).
12. Deve-se optar por gabinete vertical(mini torre), que ocupa muito menos espaço e não interfere com os demais arranjos citados.


Postado em 21 de Julho de 2015 às 09h36

Recomendações Para Pacientes Reumáticos

Dicas (13)

Repouso ou Exercícios: qual a melhor opção?

O médico e o paciente devem estabelecer, como parte do tratamento, um programa equilibrado de repouso e exercícios. Haverá mais repouso e menos exercícios num estágio mais agudo ( mis grave), isto é, na presença de sintomas, e, vice-versa, nas fases de melhora.
O descanso do corpo inteiro, usualmente na cama, ajuda a vencer a inflamação. Entretanto, o repouso prolongado pode produzir uma desconfortável rigidez nas juntas enfermas. É sempre bom alterar períodos de atividade com breves períodos de repouso.
Exercícios são de grande importância. A artrite reumatóide é uma doença que tende a endurecer as juntas e restringir-lhes os movimentos, em especial aquelas que não forem usadas. Assim, em uma longa viagem de automóvel ou até mesmo pela manhã, quando o paciente se levanta, pode haver muita dor e rigidez.
Desta forma, é importante que, sempre com orientação médica, os paciente realizem exercícios físicos que movimentem as juntas e articulações durante o dia, sem que isso tome muito tempo, visando evitar a dor, a rigidez e muitas vezes até a deformidade e a invalidez.
Os exercícios podem ser praticados sozinhos, sem qualquer ajuda, ou feitos na presença do médico ou fisioterapeuta.
Os exercícios não devem ser dolorosos ou, pelo menos, devem somente provocar uma dor de intensidade leve.
Em determinados períodos da artrite, o exercício não é recomendado. Todo o tratamento está condicionado à situação de cada paciente, e o médico deve proceder a um julgamento individualizado sobre o que deve ser feito. Exercícios serão quase sempre uma parte do tratamento adotado, seja por algum tempo ou permanentemente.

Utilidade do calor

O calor é um antigo e eficiente recurso de relaxamento da musculatura e de alívio no sofrimento provocado pela artrite nas juntas. O médico pode, por exemplo, recomendar um banho quente pela manhã, bem cedo, logo após o paciente se levantar. Essa é uma hora que a maioria das pessoas com artrite reumatóide sofre, mais agudamente, rigidez e dor. O médico pode enfatizar a importância do banho tomado imediatamente após o levantar e não um pouco depois. Os banhos raramente devem ultrapassar 20 minutos de duração e não são recomendados mais de uma vez por dia.

Banhos Especiais

Hospitais e clínicas muitas vezes oferecem uma variedade especial de equipamentos para banho ou hidroterapia (tratamento por meio da água) para artrite reumatóide. O paciente ficará em um tanque onde um dispositivo movimenta a água e a faz borbulhar, produzindo uma delicada massagem e calo brando. Existe tanque menores, nos quais o tratamento é dirigido a determinadas partes do corpo, como braços, mãos, pernas e pés. Piscinas terapêuticas com água morna, úteis para problemas especiais, também são encontradas. Equipamentos desse tipo podem ser obtidos para uso doméstico, mas o paciente não deve adquiri-los sem

antes aconselhar-se com seu médico. Há pessoas que pioram com o calor, que, portanto, só pode ser indicado pelo seu médico.

Uso de talas

Talas são usadas, às vezes, à noite, para dar descanso adicional e serão também usadas como auxílio na prevenção de contraturas. Uma contração ocorre quando não se pode distender uma junta, devido ao encolhimento de músculos e ligamentos. Quanto mais tempo uma junta ficar dobrada ou e flexão, maior risco de que fique endurecida. Esforços devem se feitos no sentido de evitar a contratura. Talas removíveis são usadas, com freqüência, à noite e por determinados períodos diurnos. Diferentes tipos de material são hoje disponíveis para moldar talas bem leves, que são planejadas de modo a proporcionar descanso e apoio às juntas afetadas. Uma tala para punho, por exemplo, permite o uso dos dedos e das mãos, enquanto protege a junta dolorida e/ou deformada.
Porém, somente o médico pode indicar os casos onde a utilização destas talas é adequada.

Muletas e Bengalas

Algumas juntas ( os joelhos, por exemplo) carregam muito do peso do corpo, quando estamos de pé ou caminhando. Algumas vezes é necessário proteger essas juntas que suportam pesos. Nesses casos, o médico pode recomendar uma distribuição parcial ou limitada do suporte do peso com o uso de bengalas ou muletas, que são muito boas como aparelhos auxiliares. Elas dividem a carga e, desse modo, protegem os joelhos e os pés. Os pacientes não devem usá-las sem instruções de como fazê-lo.

Sapatos são Importantes

Usar sapatos mal desenhados ou mal adaptados pode causar deformidade do pé e inabilidade do paciente com artrite tanto quanto a própria artrite. Sapatos com bico fino, com salto alto e apertados tendem a acentuar as deformidades que ocorrem nessa doença. Uma boa adaptação é essencial. Os sapatos devem servir corretamente, tanto na largura como no comprimento. Seu médico também pode prescrever sapatos corretivos, que são muito úteis para pacientes com artrite. Tênis folgados e leves, como os usados por corredores de longa distância, são, em geral, satisfatórios.

Postura Ajuda

Uma boa postura quando descansando na cama, ou sentado, ou caminhando, é muito importante para os pacientes com artrite reumatóide. Má postura pode trazer deformidades e contraturas e também pode agravar a dor em certas juntas. Aprender a erguer e segurar objetos também é importante nesse sentido.

O Tratamento

1. Não interrompa o tratamento.
2. Não sentir dor não significa cura.
3. Confie nas orientações do seu médico.
Não aceite sugestões para troca dos medicamentos prescritos pelo médico. Só ele conhece o seu estado e sabe do que você precisa.

Lembre-se de que leigos ou mesmo farmacêuticos não estão autorizados a indicar ou substituir qualquer medicamento de venda sob prescrição médica.


Postado em 21 de Julho de 2015 às 09h34

Medidas para uma Coluna sadia

Dicas (13)
Centro de Coluna Chapecó/SC 1. Faça exercícios para conservar os limites de movimentos mais fáceis e indolores e para manter um bom tônus muscular. 2. Quando sentado use um suporte lombar, e se possível,...

1. Faça exercícios para conservar os limites de movimentos mais fáceis e indolores e para manter um bom tônus muscular.
2. Quando sentado use um suporte lombar, e se possível, reclina o encosto.
3. Use cadeira com suporte para braço.
4. Quando sentado, movimente-se apoiado no banco, evitando levantar a todo o momento.
5. Escolha o que é melhor para você: ficar inclinado para frente ou para trás. Ficar ereto ou inclinado para frente normalmente é a melhor posição para sua coluna.
6. A posição escolhida deve ser mantida tanto em pé quanto caminhando.
7. Se estiver sentindo dores muito fortes na coluna, deite e faça um ângulo de noventa graus com os quadris (junta das costas).
8. Durante as dores agudas, durma no chão, sobre três cobertores.
9. Use uma cama reta e firme.
10. Levante peso sem curvar a coluna. Faça força com as pernas e mantenha o objeto erguido próximo do seu corpo.
11. Desenvolva a musculatura do tronco com exercícios para costas e abdômen. Caminhar é excelente para você.
12. Abra e feche janelas com cuidado.
13. Quando estiver levantando ou carregando objetos, evite movimentos bruscos.
14. Não levante mais peso do que pode agüentar e evite atividades de alto desgaste.
15. Nadar é um excelente exercício para as fases de dores crônicas e agudas.
16. Evite a obesidade.
17. Sente na borda da cama ou da mesa para trocar de roupa.
18. Evite atividades que provoquem dor.
19. Se ficar em pé por muito tempo, apóie uma das pernas em um suporte alto.
20. Faça amor de lado quando estiver com muito desconforto lombar.
21. Evite movimentos de flexão e rotação da coluna ao mesmo tempo.
22. Viagens longas são contra-indicadas, na crise.
23. Nunca puxe objetos: empurre-os.


Postado em 21 de Julho de 2015 às 09h33

Oração Para Obter Saúde

Dicas (13)
Centro de Coluna Chapecó/SC Espirito Santo, criador e renovador de todas as coisas, sois a vida da minha vida. Eu vos adoro, vos agradeço e vos amo! Vós que conservais a vida de todo o universo, concedei-nos o dom da...

Espirito Santo, criador e renovador de todas as coisas,
sois a vida da minha vida.
Eu vos adoro, vos agradeço e vos amo!
Vós que conservais a vida de todo o universo,
concedei-nos o dom da saúde; livrai-nos de
todos os males do corpo e do espirito.
Que eu me disponha a ganhar as minhas energias no
serviço aos irmãos.
Ó Espirito de Vida, concedei a sabedoria para os
médicos e todos os que se dedicam aos doentes, a fim
de que conheçam a causa das enfermidades que ameaçam
a vida.
Iluminai os cientistas, para que possam descobrir os
remédios necessários e, assim, conceder o Dom da
Saúde a todos os doentes.
Amém. 


Postado em 07 de Abril de 2010 às 09h30

Cuidados gerais com a hérnia cervical

Dicas (13)
Centro de Coluna Chapecó/SC No carro: -Evitar viagens longas -O mesmo deve ser confortável -Usar sempre o retrovisor pois evitará torcer o pescoço. -Evitar arrancadas bruscas -Cuidados com os buracos e quebra-...

No carro:

-Evitar viagens longas
-O mesmo deve ser confortável
-Usar sempre o retrovisor pois evitará torcer o pescoço.
-Evitar arrancadas bruscas
-Cuidados com os buracos e quebra- molas.

Na cama:

-Proibido dormir de barriga para baixo.
-Dormir de barriga para cima com travesseiro baixo.
-Quando deitado de lado o travesseiro deverá ter uma altura entre o ombro
e o rosto.
Na televisão, cinema e computador
-Evitar olhar deitado.
-A tela deverá estar ao mesmo nível dos olhos.
-Não olhar com o pescoço torcido.
-Quando olhamos para cima e para baixo a pressão dentro do disco aumenta e
consequentemente prejudica o tratamento.Cuidado.

Esforços:

-Na crise evitar qualquer peso.
-Cuidado com bolsas grandes e pesadas.
-Cinco quilos já é muito.
-Cuidado em pegar objetos em lugares mais altos e mais baixos.
-Para haver equilíbrio o ideal seria carregar o mesmo peso em cada mão.
-Sempre empurrar os objetos, nunca puxar.
-Carregar objetos o mais perto possível do corpo pois evitará o braço de alavanca.
-Evite atividade que provoque dor.
-Não faça movimentos bruscos.
-Cuidado ao abrir e fechar janelas.

Atividade física:

-Contra-indicado todos os esportes de impacto.
-Evitar esteira,step, aeróbica, jump,musculação.
-Após melhorar o ideal seria: caminhadas, natação, hidroginástica, bicicleta ergométrica,alongamentos e
reeducação postural global.


Postado em 07 de Abril de 2010 às 09h25

Sete sinais de alerta de Dores nas Costas

Dicas (13)
Centro de Coluna Chapecó/SC Se você responder "sim" a qualquer uma das perguntas a seguir, você deve consultar um especialista em coluna: 1. Sua dor na parte inferior das costa se prolonga até sua perna? Se a...

Se você responder "sim" a qualquer uma das perguntas a seguir, você deve consultar um especialista em coluna:

1. Sua dor na parte inferior das costa se prolonga até sua perna?
Se a dor é persistente e severa, ela é um sinal de que algo está comprimindo um nervo que se prolonga de suas costas para a perna.

2. A dor na sua perna aumenta se você levantar seu joelho até o peito ou se curvar sobre ele?
Em caso positivo, há uma grande possibilidade de um disco estar irritando um nervo.

3. Você sentiu uma dor muito forte após uma queda recente?
Uma queda pode causar danos a sua coluna. As chances de lesões aumentam se você tiver osteoporose.

4. Você tem sentido dores nas costas significativas por mais de três semanas?
Geralmente, a dor desaparecerá com um tratamento simples. Entretanto, se sua dor persistir, você deve consultar um especialista em coluna.

5. Você tem sentido dores nas costas que pioram quando você repousa ou que o acordam à noite?
Se isso estiver acompanhado por febre, pode ser sinal de que há uma infecção ou outro problema.

6. Você tem problemas persistentes de bexiga ou de intestinos?
Problemas de bexiga ou de intestinos podem ter diversas causas, mas alguns problemas de coluna podem causar esses sintomas.

7. Você fica com as pernas adormecidas ou enfraquecidas ao caminhar?
Esses problemas podem ser causados por um estreitamento do canal vertebral.
Isso é chamado de estenose vertebral.

Algumas das coisas que você pode fazer para manter suas costas saudáveis são: parar de fumar, manter seu peso normal e se exercitar pelo menos três vezes por semana.


Postado em 06 de Abril de 2010 às 09h16

Ergonomia básica preventiva para o local de trabalho

Dicas (13)

Orientações para evitar lesões nas costas

Centro de Coluna Chapecó/SC Orientações para evitar lesões nas costas Existem certas orientações básicas sobre ergonomia que podem ajudar um funcionário a evitar dores ou lesões nas costas: •...

Existem certas orientações básicas sobre ergonomia que podem ajudar um funcionário a evitar dores ou lesões nas costas:

• Faça uma descrição da função com base nos esforços presentes em um ambiente de trabalho específico, o tempo utilizado desempenhando a tarefa e a biomecânica (definição dos movimentos humanos) usados na tarefa.
• Use a postura corporal como uma ferramenta que pode ser modificada para atender as demandas do cargo com um esforço mínimo dos músculos, ligamentos, ossos e articulações.
• Aprenda e use a mecânica corporal apropriada de forma a limitar o esforço mecânico extra para completar a tarefa.
• Mantenha-se em forma e com flexibilidade e desenvolva uma força de reserva.
Identificando a postura ruim e os riscos

Muitas situações potencialmente danosas que levam às lesões nas costas podem ser identificadas e evitadas se quatro regras práticas forem seguidas:

1 - Postura estática prolongada é o inimigo. O corpo saudável só pode tolerar a permanência em uma única posição por cerca de 20 minutos. É por isso que permanecer sentado em um avião, na cadeira do escritório ou no cinema se torna desconfortável em pouco tempo. A permanência em um mesmo lugar, como num piso de concreto em uma linha de produção por longos períodos de tempo costuma causar dores nas costas. A permanência em uma mesma posição diminui lentamente a elasticidade dos tecidos moles (tendões e ligamentos musculares das costas). Assim, o esforço cria e causa desconforto na região das costas e/ou desconforto nas pernas. A solução é simples. Mude frequentemente de posição. Baste mover-se. Levante-se ou sente-se, alongue-se, faça uma breve caminhada. Ao retornar para a postura em pé ou sentada, use uma postura alternativa por alguns momentos e uma parte da elasticidade dos tecidos necessária para proteger as articulações retornará.

2 - Alongamento freqüente ou repetitivo na extensão máxima do movimento, ou posturas estranhas, angulares, podem prejudicar as articulações. Funções que requerem movimento repetitivo freqüente, levantamento de algo do solo, sobre a cabeça, movimentação de cargas pesadas ou uso de força rotacional ou torção enquanto segura algum material podem ocasionar lesões nas costas no futuro.

3 - Cargas pesadas oferecem maior risco. Se o trabalho requer a movimentação de objetos pesados ou volumosos, é importante ter as ferramentas apropriadas ou solicitar ajuda.

4 - Cansaço faz as pessoas se moverem de modo mais desajeitado. Se alguém estiver muito cansado ou se sentir exausto, é aconselhável evitar erguer objetos pesados sozinho ou de modo rápido.

Se seguir essas regras práticas de ergonomia for um problema freqüente, o trabalhador corre o risco de continuar ou agravar uma lesão nas costas.

Ergonomia e dor nas costas no local de trabalho

Lesões nas costas comuns no local de trabalho

A dor nas costas é uma das lesões relacionadas ao trabalho mais comuns e geralmente é causada por atividades normais de trabalho, como sentar em uma cadeira no escritório ou levantar peso. A aplicação dos princípios da ergonomia – o estudo do local de trabalho em relação ao trabalhador – pode ajudar a prevenir dores nas costas ou lesões relacionadas ao trabalho e ajudar a manter a saúde das costas.

O objetivo de um programa de ergonomia na indústria é adaptar o local de trabalho a um trabalhador específico, conforme a descrição da função, as tarefas necessárias e a constituição física do funcionário que desempenha essas tarefas. Dois tipos de situações costumam fazer com que as pessoas passem a sentir dores nas costas ou desenvolver uma lesão nas costas no trabalho:

1 - Lesão não-acidental, onde a dor surge como resultado de atividades normais e de requisitos da tarefa. Mecânica corporal ruim, atividade prolongada, movimentos repetitivos e fadiga são os principais contribuintes para essas lesões. Isso pode ocorrer em decorrência da permanência na posição sentada em uma cadeira no escritório ou em pé por muito tempo em uma posição.

2 - Lesão acidental, onde um evento inesperado desencadeia uma lesão durante a execução de uma tarefa. Uma carga que escorrega ou se desloca quando está sendo erguida, um escorregão e queda ou bater a cabeça na porta de um armário são exemplos comuns. Esses acidentes podem causar um golpe no pescoço, nas costas e em outras articulações com luxação ou rompimento dos tecidos moles nas costas.

Lesão nas costas causada por trabalhos que requerem participação física

Funções que exigem muito da parte física e necessitam de levantamento repetitivo (tal como na enfermagem ou na indústria pesada) são de grande risco tanto para a lesão não-acidental como para a acidental das costas. Por exemplo: muitos trabalhadores da área da saúde apresentam problemas nas costas porque os pacientes são de diferentes estaturas e pesos, tendo necessidades variáveis. Geralmente, os pacientes necessitam de ajuda para mudar de posição, levantar de uma cadeira e caminhar. Do mesmo modo, o esforço físico necessário em um acidente ou incêndio para salvar uma pessoa presa ou salvar uma vida é imprevisível. Os mesmos problemas ocorrem na indústria da construção, onde a consistência de tarefas é um desafio.

Lesão nas costas por ficar sentado em uma cadeira no escritório

As pessoas que ficam sentadas a maior parte do dia, tais como aquelas que trabalham no computador sentadas em um escritório, também apresentam um alto risco para lesão não-acidental nas costas. A ergonomia do escritório ou do computador pode ajudar a minimizar o risco de lesão repetitiva, como a síndrome do túnel do carpo e os riscos associados a permanecer sentado por muito tempo, como luxação no pescoço, dor na parte inferior das costas e na perna.

Este artigo resume a utilização dos conceitos ergonômicos, padrões mecânicos e boa mecânica corporal (biomecânica) que podem contribuir para a redução das lesões nas costas no ambiente de trabalho para muitas funções. E o mais importante: manter a boa forma física, a força e a flexibilidade melhoram a possibilidade de evitar lesões nas costas em todos os tipos de ambientes de trabalho.